14 de Julho de 2011

Nome Completo: Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira
Data De Nascimento: 25/06/1933
Nacionalidade: Portuguesa
Projectos:
- Recuperação do bairro judeu de Veneza e do bairro Kreuzberg, em Berlim
- Casa de Chá da Boa Nova
- Contribuição relativamente ao plano arquitectónico para a construção do Museu de Arte Contemporânea do Porto
- Biblioteca / Serviços de Documentação na Universidade de Aveiro (1995)
- Depósito de água na Universidade de Aveiro (1991)
 

 

“O edifício da Biblioteca situa-se no vértice oeste da Praça Central e corresponde, “grosso” modo, a um paralelepípedo alongado, de acordo com o plano urbanístico, ajudando a melhor definir e a enquadrar este grande espaço público perante a vastidão da paisagem da ria.

 

Com os seus quatro pisos acima do solo, três estão acima da praça e um abaixo, o que levou o sue arquitecto Álvaro Siza Vieira, a estabelecer a entrada principal no segundo piso a partir de um prolongamento do plano da praça, criando igualmente uma ligeira rampa que permite o acesso directo a partir do conjunto universitário construído segundo o plano urbanístico inicial. Tal relação de pisos também proporcionou uma utilização mais pública nos três últimos pisos e uma mais reservada no piso térreo.

 

Para o utilizador, esses três pisos adquirem um sentido unitário motivado, em grande parte, pelas relações visuais que Álvaro Siza estabeleceu entre si através de várias aberturas que permitem o “escoamento” da luz natural vinda dos lanternins na cobertura, uma das características mais significativas do edifício. Interessante é também verificar que as aberturas para o exterior, em cada um destes pisos, variam, destacando-se os resgamentos horizontais que permitem observar a paisagem da ria.

 

Exteriormente o edifício expõe-se diferentemente conforme a orientação e as características dos interiores adjacentes: a entrada principal tem uma enorme pala vertical, a fachada para o sudoeste tem uma “pele” que se solta e ondula, enquanto a fachada oposta é mais lisa na relação com o interior do Campus. Há também que reconhecer uma vontade de ordem que regula o todo do edifício e que o reparte em três partes, quer ao longo do paralelepípedo, quer na sua transversal, o que não deixa de lembrar Louis Kahn. Neste edifício também foram integradas ligações de Alvar Aalto.”

 

Fonte: "Universidade de Aveiro. Arquitectura e Urbanismo" -Jorge Arroteia, Nuno Portas e Michel Toussaint

 

Buena aportación a lo que aquí se ha realizado.
luis a 22 de Março de 2016 às 12:36
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
arquivos
2011
mais comentados
1 comentário
mais sobre mim
pesquisar
 
últ. comentários
Buena aportación a lo que aquí se ha realizado.
blogs SAPO